10 perguntas que organizadores de festas não aguentam mais ouvir

Pedidos de VIP e perguntas idiotas estão na lista

Todo mundo gosta de festa, assim como todo mundo tem dúvidas quanto a elas. E caso você tenha algum contato com um organizador de eventos, saiba que algumas perguntas dão no saco desse profissional, muito por conta de já terem sido feita umas 300 vezes – só nesta semana.

+ 15 dicas de ouro para um DJ iniciante
+ Manual definitivo de como mandar seu nome para lista da balada
Veja um roteiro de baladas para todos os gostos musicias em SP


Bom, se você tem amor aos seus dentes, veja abaixo as perguntas que você deve evitar fazer a um organizador de festa:

Que tipo de pessoa cola?

Homo sapiens. Que tipo você achou que era? O que a pessoa quer saber, de fato, é o tipo da balada e o que toca, mas ao invés de pensar para fazer essa pergunta, fala qualquer coisa e aumenta o ódio no mundo.

Trouxe três amigos, posso entrar vip?

Vip significa “very important people”, que em bom português significa “pessoa muito importante”. Ou seja, a não ser que você traga um micro ônibus repleto de gente legal, não venha pedindo um vip por tão pouco. 

Aniversariante do mês é vip?

Claro, e ainda recebe massagem nos pés. Geral perde a noção na hora de querer um presentinho de aniversário, logo, mesmo que faça aniversário no dia 1º, tenta esse vip + 1 até o dia 30. Safadinho.

Se você não me vipar, tudo bem, eu vou para outro lugar...

Embora isso não seja uma pergunta, saiba que, se você não for realmente importante, pouco importa se você vai estar nesta ou na outra balada, já que nem disposto a pagar você está, né?

Essa balada é gay?

Mais uma pergunta que não ofende, mas completamente desnecessária. Saiba que, seja você hétero ou gay, cada vez mais os públicos estão mesclados, ou seja, todas as preferências se encontram no mesmo lugar. Aliás, quem procura, acha. 

Posso ir de chinelo, regata e bermuda?

Olha, poder você pode na maioria dos lugares, e nem é tão errado perguntar, mas não seja cafona, né? Se você se presta a sair de casa de noite, vá pelo menos arrumadinho, balada e luau são coisas distintas. 

Vende bebida alcóolica?

Ok, essa passa, afinal, você pode estar perguntando algo para um organizador de matiné ou de balada crente. Ok, dessa vez passou. 

Entra menor de idade?

Depende, se for na matiné ou na balada crente, entra sim!

Mas com o que você trabalha?

Sim, muita gente acha que o fato de você trampar com a noite faz de você um bon vivant, que bebe, dança e sorri a noite toda, mas muita gente esquece que antes de uma festa acontecer existe muito trabalho. 

Sua família aprova esse tipo de trabalho?

Não, eles preferem que eu fique em um escritório carimbando fichas. De fato, os familiares não acham muito legal a ideia de você passar suas noites em baladas, ainda mais por dormir durante o dia, mas custam a entender que a responsabilidade de botar o evento pra acontecer é tão ou mais importante do que segurar canetas e vender coisas.

Atualizado em 29 Ago 2014.

Por Rodrigo Guarizo
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Beco 203 reabre com nova decoração, mais uma pista e número maior de bares

A casa inaugura nesta sexta, 17, e terá festas com pop, hip hop e outros estilos

Festas inspiradas no Lollapalooza agitam SP antes, durante e depois do festival

Diversas casas noturnas estão com programação especial para o evento!

Memorial da América Latina volta a ser palco de Carnaval neste sábado com Bloco Fica Comigo

Para se despedir do Carnaval em grande estilo!

São Paulo terá bloco de Carnaval "geek" na região dos Jardins no feriado

A folia, promovida pela loja ToyShow, conta com a escola de samba do pessoal do Hermes e Renato e dos youtubers Irmãos Piologo como atrações

Shows gratuitos agitam o Largo da Batata e o Vale do Anhangabaú durante o Carnaval em SP

Paralamas do Sucesso, Céu e Elza Soares são algumas das grandes atrações dos palcos no centro de SP

Festa gratuita reúne seis blocos de Carnaval de rua na região central de São Paulo

O evento traz os blocos Esfarrapados, Bloco 77 - Os Originais do Punk, Pagu, Nóis Trupica Mais Não Cai, Bloco Fuzuê SP e Ritaleena à Praça do Patriarca, dia 11 de março.