Dicas para fotografar bonito na balada

Aprenda os efeitos que os profissionais usam nas fotos da noite paulista

Fotografia de balada é um assunto polêmico. Não há quem não tenha uma relação de amor e ódio com os cliques do open bar de ontem, do aniversário da melhor amiga e por aí vai.

+ Veja as melhores baladas para curtir no fim de semana em SP
+ Veja sugestões de como se vestir para balada

Isso acontece porque o duck face pode até ter parecido incrível na noite anterior, mas alguma coisa acontece no meio do caminho e quando as fotos são postadas ele vira uma careta horrível. Fora aquelas fotos que você nem lembra ter tirado, os cliques beijando um boy, entre outros. 

Entre uma foto torta e outra, você encontra, perdida, aquela outra pic que você está linda, o cabelo está maravilhoso, o ângulo te emagreceu e ainda, no fim do álbum, a foto do menino que você quer que seja o pai dos seus filhos, mas perdeu o contato na balada.

Prós e contras postos de lado, fica a dúvida: como é que os fotógrafos conseguem os cliques mágicos com duas vezes a mesma pessoa (dupla exposição), luzinhas coloridas (light paiting) e outros truques divertidos?

Confira nossas dicas para fotografar como os bonitos contratados:

Flash externo: infelizmente, com o flash embutido, que já vem acoplado na câmera, as coisas legais que você pode fazer ficam mais limitadas. O ideal é que você use um flash externo que, além de mais alcance, é mais forte e pode ser regulado (como as câmeras, um flash pode ser colocado no manual, no automático, etc).

Thy Zancheta e Too Drunk to rock

Configurações da câmera: aqui não adianta colocar a câmera no automático e sair batendo foto. As fotos noturnas são bem mais complicadas de se fazer e requerem um mínimo de conhecimento em fotografia. ISO, velocidade e abertura tem de ser usados a seu favor, para evitar que a foto fique estourada, ou muito escura. (veja abaixo as fotos de diferentes fotógrafos e as configurações da câmera em cada ocasião)

I Hate Flash Blitz

Foco: use e abuse das diferentes focagens nas fotos. Foque o primeiro elemento, ou um detalhe, você que manda. As fotos ficam bem mais divertidas e alternativas, além de dar destaques diferentes. A focagem fica mais fácil no manual, para criar esse efeito.

Julia Bueno e Astronete

Light Painting: é um querido, mas deve ser usado com moderação. A ideia é que ele preencha o fundo da foto, e não se intrometa no meio da cara da galera a ser fotografada. Como fazer: selecione uma abertura pequena na sua câmera (que corresponde a um número grande), uma velocidade baixa (muitos fotógrafos deixam a câmera no bulb - enquanto seu dedo estiver apertando o botão, o obturador ficará aberto); escolha o que você vai fotografar, foque e gire a câmera, procurando os focos de luz ao redor. Enquanto gira, não esquece de prestar atenção onde estava seu objeto e onde você está colocando a luz.

Davi Santa Neon Party Baby

Dupla Exposição: essa função existe apenas em algumas câmeras. Algumas Nikon, principalmente. O efeito consiste em lançar o flash no objeto duas ou mais vezes (múltipla exposição) e mover a câmera no meio tempo. Assim, a mesma pessoa aparece várias vezes na mesma foto, com expressões diferentes, gestos, etc.

Marcus Neon Party Baby

Fish Eye: o efeito olho de peixe nas fotos requer uma lente especial. Ela funciona como o olho mágico da sua porta, distorce a imagem. É ideal para cobrir uma grande área ou fotografar detalhes. Na balada, fica interessante para fotografar um grupo grande de amigos ou um objeto só. Também deve ser usado com moderação (mas parece que a galera esquece).

Felipe Simon Freak Nation

Dicas dos fotógrafos que cobrem a noite paulistana:

Felipe Simon: uso câmera Nikon, ISO 200 (pros canonseiros aconselho ISO 100), abertura 5.6f (que é uma abertura segura pra focar quando tem vários rostos em distâncias diferentes e é o limite pra não deixar o fundo muito escuro). A velocidade realmente varia muito, mas uma média de 1/6 seg. Flash utilizo TTL -1.7 em segunda cortina

Davi Santa: uso Canon, ISO 800 (o light paiting fica mais transparente e não tem o risco de ficar na frente de algum rosto), abertura 5,6 padrão. A velocidade deixo sempre em BULB.

Thy Zancheta: uso Canon, ISO 200 a 400. A abertura depende da lente (uso lente fixa, que é mais clara, e lente zoom), mas a variação é de 1.8f até 5.0f. A velocidade é de 0.5" a 1"

Julia Bueno: uso Nikon, ISO 200/400 (depende do efeito que quero dar), a abertura em 6.3f (meu flash é bem potente e eu gosto da luz o menos artificial possível). A velocidade sempre em longa exposição (BULB)

 

Atualizado em 18 Jul 2013.

Por Julia Bueno
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Do eletrônico ao pop e rock: 9 festas que prometem agitar a véspera de feriado em SP

Baladas promovem programação especial na véspera do feriado de aniversário de São Paulo

Do punk ao pagode: conheça 12 blocos diferentões que vão desfilar no Carnaval de rua 2017 em SP

Tem bloco de Carnaval para todos os gostos: de pagode, de eletrônico, de sertanejo e até bloco punk!

Marca de cerveja promove exposições e festas em museu de SP

O projeto "The Art of Heineken" contará a história da marca dentro do Museu de Arte Contemporânea

8 festas imperdíveis para curtir o verão no litoral de São Paulo

Saiba onde vão rolar as festas mais badaladas da temporada pelas praias paulistanas

Festivais de música eletrônica e raves que acontecem no Brasil em 2017

Programação imperdível para os fãs do EDM que não perdem a chance de fritar!

9 festas para curtir o Réveillon 2017 no Rio de Janeiro

Saiba onde será o fervô na virada do ano na cidade maravilhosa!