MC Mayara, MC Siri e a galera do eletrofunk

O hit “Ai como eu to bandida” e outras novidades do funk

MC Dz
MC Dz (Créditos: Eletrofunk Brasil)
MC Dz
MC Dz (Créditos: Eletrofunk Brasil)
MC Mayara
MC Mayara (Créditos: Eletrofunk Brasil)

 

O funk carioca já foi alvo de críticas e de censura, mas finalmente caiu de vez na graça do povo. Dele, surgiram algumas vertentes. A mais nova delas, vinda do sul do Brasil, tem dado o que falar nas redes sociais: o Eletrofunk.
 
O nome é quase autoexplicativo. Uma mistura de pancadão, com eletrohouse. A onda surgiu em Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre; onde o cenário do batidão pega fogo. As letras são menos sujas e as melodias mais dançantes. Um teclado no fundo traz a sensação de uma produção simples, caseira. Os hits são compostos com base em músicas gringas, uma espécie de poperô brasileiro. Entre seus representantes de maior destaque estão a MC Mayara, a MC Dz, o Edy Lemond e o MC Siri.

Ainda não é comum ouvirmos esse som na rádio. Mas no youtube, o eletrofunk está pipocando visualizações. O vídeo mais bombástico foi o “Ai como eu to bandida!” da MC Mayara. Postado há menos de dois meses, o clipe já teve mais de um milhão e duzentos mil views. Existem boatos de que seu shortinho branco e sua cara de menina causaram tanta polêmica que o Juizado de Menores foi acionado por acharem que ela menor de idade. Pelo jeito, não é. Tanto não é que a gata provou que já é bem grandinha, o suficiente para cantar e sensualizar em outro vídeo ao lado do MC Siri, o “Quero você”, postado semana passada:

 

Com apenas dezoito aninhos, o primeiro CD da Mayara estará disponível para download ainda no mês de maio. MC Siri tem mais tempo de estrada. O carioca fez parte da dupla de pancadão SD Boyz, autores dos hits “Tá Dominado” e “Bonecão do Posto”, sucesso em 2001. Siri entrou para esse segmento há pouco tempo, mas já lançou seu primeiro CD, disponível no site Eletrofunk Brasil.

Deize Lorreto, a Dz, é outra MC que veste a camisa. Compositora de seus próprios hits, a loira já gravou três discos, e contracenou ao lado de Mayara em “Agora você vai ver”, e com Edy Lemond, em "Ai que delícia":

 

Aos poucos, o eletrofunk vem conquistando fãs em todo o Brasil. Os próximos shows já estão marcados em Fortaleza, Maranhão, Goiânia, Brasília e Rio de Janeiro. A todo vapor, escolhemos uma frase para defini-lo: “não para, não para, não para não”.

Comentários