Onde comprar discos de vinil em São Paulo

Galerias do centro vendem LPs de gêneros diversos e raridades

Disco de vinil
Disco de vinil (Créditos: Carol Mendonça)
Fachada da Ventania Disco, na Rua 24 de maio, no centro
Fachada da Ventania Disco, na Rua 24 de maio, no centro (Créditos: )
Fachada da Sebo do Disco, na Rua 24 de maio, no centro
Fachada da Sebo do Disco, na Rua 24 de maio, no centro (Créditos: )
Fachada da Cel-Som, na Rua 24 de maio, no centro
Fachada da Cel-Som, na Rua 24 de maio, no centro (Créditos: )

O modo como as pessoas consomem música muda bastante com o passar dos anos. A venda de CDs, que já rendeu lucros exorbitantes às gravadoras, vem caindo de forma gradativa, enquanto a compra de música digital só aumenta. Com o CD se mostrando cada dia mais obsoleto, uma mídia antes vista como extinta conquista espaço novamente, especialmente entre os jovens: o vinil. 

E a cidade de São Paulo é um importante reduto do culto aos bolachões. O centro da capital paulista reúne diversas lojas que comercializam LPs de todos os gêneros e épocas. E pensando em você que está a fim de começar ou aumentar sua coleção de vinis, mas não sabe como, decidimos listar alguns desses pontos de venda. O mais legal é que você leva um disco e de quebra volta pra casa com muito mais coisa na bagagem.
 
A galeria do vinil
Um prédio de aparência suja, no nº 188 da Rua 24 de maio, bem próximo a um dos maiores símbolos do centro velho, a Praça da República, esconde um tesouro. Após encarar uma estreita escada rolante que parece não ter sofrido reparos há anos, o visitante se depara com um andar exclusivo para lojas de LPs.


LPs da loja "Sebo do Disco"

O ObaOba fez um tour de algumas boas horas entre as lojas da galeria: tirou fotos e conversou com proprietários. Marcelo Paixão, responsável pelo "Sebo do Disco", sacramenta: "A mídia digital não alcança a sonoridade do vinil de maneira alguma". Sua loja tem um acervo de aproximadamente 30 mil LPs e sete mil CDs. Por lá, encontra-se de tudo: desde Motörhead, Beatles até MPB.

Mas seu item mais valioso não está mais na loja. "Vendi um picture disc (o próprio vinil estampado com a ilustração da capa) do Dangerous, do Michael Jackson, por mil dólares". Mas existem LPs bem mais caros que esse. "Uma vez apareceu o primeiro disco do Roberto Carlos no Ventania (veja abaixo). Venderam por R$ 5 mil", conta Marcelo.


A loja "Ventania Discos"

O "Ventania" que Marcelo cita é uma loja vizinha de prédio, a “Ventania Discos”. Fundada em 1985 pelo casal Alcides e Néia, a loja hoje possui um acervo de aproximadamente 150 mil LPs. "Meus pais faziam trocas em feiras. Quando casaram, alugaram a primeira sala", revela Alcides Campos Neto, 17, filho do casal e herdeiro natural do tesouro da loja.

Veja mais fotos de lojas de lojas de vinil no centro de SP

Outra loja localizada no mesmo prédio é a "Tony Hits". Especializado em música negra, pra tocar em bailes, o ponto é administrado pelo homem que dá nome ao estabelecimento. Tony foi um dos primeiros DJs do Brasil (e ainda está na ativa!) e é um profundo conhecedor de fatos e discos da black music brasileira. O acervo da loja Tony Hits hoje gira em torno de cinco mil LPs.


A entrada da loja de Tony Hits

Do lado da loja de Tony Hits está a “Rua dos Discos”, com oito mil unidades no estoque. O responsável é Duílio, mais conhecido como “Gordo” entre os clientes e amigos. O retorno do vinil aos holofotes não parece animar o cara: “Ano que vem completo 30 anos vendendo discos. Mas provavelmente será meu último”, conta.
 
Gordo aponta um grande motivo para se retirar do mercado após três décadas vivendo do LP: “Os meus clientes compram comigo há muito tempo. Hoje em dia eu não tenho mais o que vender pra eles”. Nem mesmo o crescente interesse de jovens pelo vinil faz o futuro ex-vendedor repensar a aposentadoria: “Eles (jovens) migram para outro formato rápido. Não são fiéis”, diz.


A "Rua dos Discos" 

Outra loja encontrada na Galeria da Rua 24 de maio é a "Cel-Som". O espaço é dividido em estoque e loja. Um dos sócios e responsável por cuidar da loja é Fernando da Espírito Santo. Lembram daquela história do primeiro disco do Roberto Carlos vendido por R$ 5 mil? Fernando explica porque o LP vale tanto: “O que torna o disco tão valioso é o fato de o Roberto rejeitá-lo. No máximo 5 mil cópias foram prensadas e, quando o LP foi lançado, o Roberto ainda não tinha uma linha definida na sua carreira. Nesse disco ele tentou vários estilos esperando que o público e as rádios gostassem de ao menos um”.
 
A Cel-Som não tem nenhum exemplar do primeiro disco do Rei Roberto Carlos. Mas outro LP clássico e de bastante valor entre colecionadores pode ser encontrado lá: um Tim Maia Racional custa a bagatela de R$ 250.
 

Tim Maia Racional à venda na "Cel-Som" 
 
Mas essas não são as únicas lojas de discos localizadas no centro de São Paulo. Anote aí nome e endereço de algumas outras que também estão em galerias:

Baratos & Afins
Galeria do Rock: Av. São João, 439, loja 316

Disco 7 Vinil
Galeria Nova Barão: R. Sete de abril, 154, loja 24 

Mr. Groove
Galeria Presidente: R. 24 de maio, 116, loja 9

Locomotiva Discos
Galeria Nova Barão: R. Barão de Itapetininga, 37, loja 51

Combat Rock
Galeria Nova Barão: R. Barão de Itapetininga, 37, loja 66

Comentários