Jazz com tempero brasileiro

A saborosa combinação do jazz com o tempero brasileiro estará presente no cardápio do Sesc Consolação até o dia 18 de junho. É o festival Jazz à Brasileira, que reúne grandes nomes da música instrumental.

Alguns músicos brasileiros que fazem música instrumental com influências jazzísticas, mas sem se esquecer das raízes tupiniquins, estão na programação do festival. Na segunda, dia 9, quem se apresenta é o baixista Celso Pixinga. Com uma carreira de mais de 20 anos e com cerca de 13 discos gravados, Pixinga é considerado um dos melhores baixistas do Brasil. Ele ficou famoso por sua extraordinária técnica de slap, uma forma quase percusiva de tocar o baixo muito utilizada no funk. No show desta segunda o baixista fará um passeio pelas principais composições de sua longa carreira.

Na terça, dia 10 é a vez do baterista Nenê, outro virtuose da música instrumental, se apresentar ao lado de Guilherme Ribeiro (guitarra) e Alberto Luccas (contrabaixo) num show que ilustra muito bem o nome do evento. No repertório temas com jazzísticos com forte inspiração de ritmos brasileiros, como o samba e a bossa nova. Nenê é um dos músicos precursores da música instrumental brasileira. Ele integrou o Quarteto Novo, ao lado de ninguém menos que Hermeto Pascoal.

O saxofonista Harvey Wainapel é mais um daqueles músicos gringos que foram enfeitiçados pela música brasileira. Ele que já tocou com grandes nomes do jazz norte americano como McCoy Tyner e Ray Charles e com brasileiros como Dori Caymmi, se apresenta no dia 11, ao lado de seu trio. O baixista Sizão Machado, que já tocou com Elis Regina, Djavan, Chico Buarque e até com o trompetista Chet Baker é outra boa atração da programação. Suas apresentações sempre são marcadas pela sofisticação das composições.

Com um repertório que abrange desde clássicos do bebop a novos arranjos para sucessos da bossa nova, o pianista Nelson Ayres (foto) se apresenta ao lado de baixo e bateria no dia 16. Na terça, dia 17 o guitarrista Dino Rangel, discípulo de dois monstros da guitarra jazzística, Mike Stern e Jonh Abercrombi, toca músicas de Café, seu mais novo trabalho. O grupo de música instrumental Zarabatana encera o festival no dia 18 num show com músicas do disco Aurê Dorival Caymmi, no qual fazem algumas versões de música do compositor baiano.

Apesar de não utilizar palavras, a música instrumental brasileira tem muito a nos dizer. Isso poderá ser constatado nas apresentações do festival Jazz à Brasileira.

Atualizado em 19 Mai 2014.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Aplicativo lança serviço de passeios para pets com funções de agendamento e monitoramento do trajeto

A DogHero ainda seleciona as melhores pessoas para cuidar do seu cãozinho com muito amor

10 produtos criativos e inovadores que vão revolucionar a sua vida

De tênis que amarra sozinho a canudo de vidro e acessórios impressos em 3D

5 escritores contemporâneos para seguir nas redes sociais e se inspirar

Sentimentos, crises, autoestima e amor próprio são alguns dos temas que

10 livros autobiograficos incríveis para se inspirar na vida de pessoas maravilhosas

Atores, cantores e personalidades colocam a cara à tapa para contar suas trajetórias pessoais e profissionais

9 contas divertidas para alegrar o seu feed do Instagram

Perfis engraçadinhos, bonitos e até inspiradores para deixar o dia mais leve

9 livros que estão em alta para incluir na sua lista de leitura

De autobiografias a crônicas, poemas e obras que viraram filme